Prémio Jacques Delors 2022

Pedro Miguel Alves Cunha da Silva

«As relações UE-Rússia no Horizonte 2035: uma análise prospetiva»

Prémio Jacques Delors logo

Resultados

O Centro de Informação Europeia Jacques Delors (CIEJD tem o prazer de anunciar que, na sequência de decisão do Júri, o Prémio Jacques Delors 2022 foi atribuído à obra intitulada «As relações UE-Rússia no Horizonte 2035: uma análise prospetiva», da autoria de Pedro Miguel Alves Cunha da Silva.

O prémio, que beneficia do patrocínio do Banco de Portugal, inclui a edição de obra vencedora e a atribuição de uma compensação pecuniária ao vencedor no valor de 4 000 EUR.

O Júri decidiu, ainda, atribuir duas Menções Honrosas às obras: “Entre a Espada e a Parede: A atual crise do Estado de Direito na União Europeia e a ação por incumprimento sistemático como instrumento de garantia.", da autoria de Carolina de Carvalho e Oliveira Batista e "Entre o mercado e a casa: que modelo para as normas e políticas europeias em matéria de conciliação entre a vida profissional e familiar?", da autoria de Thalita Angélica Gomes Borges. 

Prémio Jacques Delors

O Prémio Jacques Delors foi instituído pelo CIEJD, em 1996, com o objetivo de incentivar o aparecimento de obras inéditas sobre a União Europeia, em língua portuguesa. Até ao presente, foram já atribuídos 28 Prémios Jacques Delors e 21 Menções Honrosas.

O prémio é atribuído por um júri constituído por personalidades nacionais de reconhecido prestígio e mérito científico.