Dar movimento à Europa

Tudo à volta de uma mesa

Dar movimento à Europa - 1.ª Apresentação e debate em Portugal no Auditório do Caleidoscópio

Artistas a atuar

"A Europa está num ponto crucial em que pode avançar ou acabar voltando aos velhos tempos de nacionalismos e guerras".

André Wilkens, Diretor na European Cultural Foundation, 2018

Enquadramento

Em dezembro de 2018, os Bolseiros da Fundação Calouste Gulbenkian residentes na Holanda reuniram-se em Amesterdão em busca da resposta a uma pergunta: como pode o talento e o poder da colaboração dentro da Rede de Bolseiros combater o crescimento de populismos e nacionalismos na Europa? O desafio de criar impacto através de diferentes modalidades artísticas acabava de ser lançado.

Tiago Barreiros e João Ramos Marta uniram-se e idealizaram uma peça em que a força da palavra, da música e da dança interagem para defender a nossa Europa Democrática.

A 9 de maio de 2019 (Dia da Europa) apresentaram na Holanda a peça “Tudo à volta de uma mesa” criada por Tiago Barreiros, seu autor, seguida de um debate aberto com o público presente.

A peça defende a Democracia na Europa, através de um texto que pretende sensibilizar o público para as realizações de um continente que soube unir-se nos últimos 70 anos em prol da Paz, despertando o movimento latente da Europa marcado por uma coreografia, acompanhada pela interpretação musical de obras barrocas e contemporâneas para flauta a solo.               

O debate que se segue à peça, entre oradores convidados e o público, permite uma verbalização das suas reflexões, numa partilha de ideias inspiradora e desafiante nos argumentos debatidos. Na Holanda, deu-se que vários participantes admitiram estar pouco conscientes dos problemas que a Europa enfrenta e da necessidade de proactivamente pensarem na Europa em que querem viver. Assim, concretizou-se o maior objetivo desta apresentação - dar movimento aos cidadãos da Europa. 

Em Portugal

O resultado alcançado na primeira apresentação incentivou o interesse em alargar a mensagem ao público português, contemplando, designadamente, a academia, os jovens universitários, mestrandos, doutorandos e seus professores, na expectativa que possam funcionar como multiplicadores informados e críticos da iniciativa.

Pretende-se, ainda, que o evento possa ser replicado noutros locais e chegar a mais públicos. Assim, esta é uma apresentação que contribui para um debate alargado de temas fundamentais para a (re)afirmação do projeto europeu e mostra como a criatividade, as artes e o poder da colaboração de cidadãos comprometidos pode mudar o mundo.

Dar movimento à Europa - 1.ª Apresentação e debate em Portugal

A Europa ganha uma nova voz na peça "Tudo à volta de uma mesa", que pretende suscitar um debate vivo e informado, entre os oradores convidados e os participantes, sobre o projeto da União Europeia e o seu futuro, alertando para a importância essencial da Democracia no século XXI.

A peça "Tudo à volta de uma mesa" é o mote para a partilha de ideias entre os oradores convidados e a audiência.

Conta com a interpretação de Tiago Barreiros (Bailarino e Ator), de Lua Carreira (Bailarina) e de João Ramos Marta (Músico), três bolseiros da Fundação Calouste Gulbenkian.

Esta iniciativa conta com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, do Centro de Informação Europeia Jacques Delors e da Escola de Ballet Dance etc...

Os artistas

Artistas - Tiago Barreiros, Lua Carreira e João Ramos Marta

Tiago Barreiros, natural de Lisboa, formou-se como bailarino na Escola de Dança do Conservatório Nacional. Aos 16 anos, mudou-se para Amesterdão, com uma bolsa de estudo da Fundação Calouste Gulbenkian, para continuar os estudos na Dutch National Ballet Academy e ao fim de dois anos ingressou na companhia nacional holandesa Introdans, em Arnhem, onde dançou durante três anos diversos coreógrafos desde Jiří Kylián, Regina van Berkel, Robert Battle, Mauro Bigonzetti, Lucinda Childs e Sidi Larbi Cherkaoui. Agora trabalha como bailarino freelancer em projetos coreográficos em Lisboa e também como produtor, encenador e coreógrafo dos seus projetos – nomeadamente, Tudo à volta de uma mesa. Simultaneamente, dá continuidade aos seus estudos académicos na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Lua Carreira nasceu em Lisboa estudou Escola de Dança do Conservatório Nacional de Lisboa. Com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian iniciou a sua carreira profissional no Ballet Junior de Genéve, Suíça, onde teve oportunidade de contactar com reportório variado de coreógrafos como Roy Assaf, Barak Marshall, Angelin Preljocaj, Thierry Malandain, Stijn Celis, Ken Ossola, Olivier Dubois e Sharon Eyal. Integrou também a companhia EgriBianco Danza, Itália, onde trabalhou principalmente com Raphael Bianco e Patricia Apergi. Durante o seu percurso como bailarina teve também oportunidade de apresentar os seus trabalhos coreográficos - "Crane", "Easy Rider", "2506" e "the Door". Lua é artista freelance baseada em Lisboa.

João Ramos Marta nasceu em Portugal onde estudou e concluiu o “Curso Superior de Flauta” com a nota máxima no Conservatório de Música do Porto na classe do professor Olavo T. Barros. Continuou os seus estudos de música na Holanda com bolsas da Nuffic e da Fundação Calouste Gulbenkian onde concluiu o Master de Flauta Transversal na ArtEZ University of the Arts. Estudou ainda flauta transversal com o flautista Jacques Zoon e flauta barroca com o flautista Wilbert Hazelzet.

É membro de vários grupos particularmente de Artevento como flautista de música de câmara atuando regularmente com o pianista Frank van de Laar, a cravista Tineke Steenbrink e o encenador de teatro Jeroen Kriek. É flautista principal da Filharmonie Noord e da Opera Spanga e faz reforços na Orkest van het Oosten.

Na ArtEZ University of the Arts João leciona flauta transversal e é membro do conselho diretivo. Foi ainda coordenador do evento Bach in the Subways em Lisboa e na Holanda. É convidado regular do Haydn Konservatorium na Áustria, Escola Superior de música de Lisboa, Universidade de Aveiro e do Conservatório de música de Aveiro.

Sinopse

Tudo à volta de uma mesa

Ao longo dos anos, o ser humano presenciou um mundo em que a guerra era uma realidade, mesmo em tempos de paz. No entanto, vimos recentemente a Europa a erguer-se das cinzas depois da Segunda Guerra Mundial e, pela primeira vez, a unir-se para assegurar a paz duradoura. “Nós fazemos parte da geração que viveu e vive o maior período de paz e o melhor nível de prosperidade de sempre. Nunca tomem esta realidade por garantida, valorizem-na, lutem por ela e defendam-na todos os dias” disse o eurodeputado britânico Richard Ashworth. Nós já fomos alertados por várias entidades no passado, como por exemplo Winston Churchill, que “apesar dos canhões terem parado de disparar, os perigos não deixaram de existir”. Populismo está a crescer cada vez mais todos os dias e a confiança na União Europeia está em risco devido a movimentos nacionalistas. O futuro do nosso continente unido está nas nossas mãos e é o nosso dever enquanto cidadãos europeus proteger a Europa que conhecemos hoje. A História existe para que possamos aprender com os erros do passado, portanto nós subimos ao palco para dar voz a essa História e aos nossos valores e direitos.

Tiago Barreiros, 2019

Convite e Programa - Dar Movimento à Europa
152.44 KB